A vida é mesmo assim,

A gente passa por uma porrada de coisas, faz um monte de besteira, comete um monte de erros (alguns necessários, e outros, às vezes inúteis), sofre horrores, chora, grita, berra, tem vontade de se matar, só pra se dar conta de que a vida é assim mesmo. Tudo isso é necessário, é construtivo. Nos fortalece.
Mas a gente só se dá conta disso depois que PASSA por tudo isso.
Só depois de quebrar a cara é que percebemos que estávamos agindo errado. Só depois que a gente sofre ( e sofre muito, não é pouco não!) é que percebemos que de nada adiantou o sofrimento. Que sofrer só piorou a situação. Só depois de ter desfeito toda a complicação que fazemos é que nos damos conta de o quanto tudo era mais simples.
A gente aprende, que mentira não leva a nada , que sofrer não faz parar de doer, que fugir não resolve problema, que o medo só atrapalha, que o amor só é bem vindo quando existe o amor próprio, que nem tudo é como a gente quer (e na maioria das vezes quase nada é.), que saber esperar é quase uma obrigação e ter esperança é mais do que necessário. Com o tempo a gente aprende que tudo tem seu tempo ( que quase nunca é o nosso!). Que é preciso respeitá-lo. A gente aprende tanta, mas tanta coisa. Aprende principalmente que é preciso passar muitas coisas só para a gente aprender.
A viver. A ser feliz.
E que ser feliz não é questão de poder e sim de QUERER!
Porque a vida é mesmo assim... basta descomplicar.

Um comentário:

  1. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Catia Bosso Poesias. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Materialize- se....